ARGUMENTAÇÃO PARA RECURSO – VPT-GO –

ARGUMENTAÇÃO PARA RECURSO

– VPT-GO –

PROVA TIPO B – QUESTÕES 3 e 4

 

Prezado(a) Candidato-Aluno(a),

 

Segue a argumentação / fundamentação para que você possa entrar com o recurso contra a QUESTÃO 3 e QUESTÃO 4, da PROVA TIPO B. São as mesmas questões da prova tipo A e tipo B.

 

Todos que erraram esta questão devem entrar com o recurso no prazo e termos que forem dados no edital e nas próximas publicações da banca. Fique atento(a).

 

Estou à sua disposição caso tenha dúvidas: 61 98147-7837 (WhatsApp)

 

 

QUESTÃO 3

 

 

Argumentação:

 

Solicita-se a anulação da questão 3 por conter duas respostas possíveis.

 

No  comando da questão, pede-se que se marque a assertiva ERRADA: “Quanto à concordância verbal, assinale a alternativa errada:” Contudo, a questão traz em si duas respostas possíveis, causando a impossibilidade de o candidato marcar com lisura sua reposta.

 

A saber, as questões que se configuram como erradas à luz da norma padrão em relação à concordância verbal são:

 

  1. No trecho “um dos porteiros, de cabelos brancos, óculos de aros grossos, queria falar comigo”, a concordância está correta, pois o verbo poderá ficar tanto no singular quanto no plural.

 

Esta assertiva está incorreta, porque o verbo não poderia ficar no plural, pois o núcleo do sujeito é o numeral ‘um’ do trecho em questão, deixando o verbo no singular apenas. A única possibilidade de se poder colocar no plural também o verbo é com o sujeito partitivo ou coletivo, o que não é o caso em análise.

 

  1. e) Em “Pelo menos uma ou duas vezes por semana cumpro esse itinerário e, pelo que me lembro nada de especial me acontece nessa hora” se mudarmos o sujeito dessa oração, isto é, o sujeito desinencial para o pronome ele, apenas o terceiro verbo negritado será modificado.

 

Esta assertiva está também errada, porque, além do terceiro verbo ser modificado como aponta a assertiva, o primeiro verbo também deve ser modificado ao se trocar o sujeito da 1ª pessoa (eu cumpro) para a 3ª pessoa (ele compra), negando a correção deste item da questão.

 

Sendo assim, pela demonstração acima e pelos princípios norteadores do padrão culto da linguagem em língua portuguesa, a questão contém duas respostas a serem dadas, impossibilitando o candidato de fazer a marcação no gabarito final.

 

Termos em que pede deferimento.

 

 

QUESTÃO 4

 

Argumentação:

 

Solicita-se a alteração de gabarito de letra A para letra C da questão 4 por não condizer com a realidade do padrão culto da língua quanto ao uso do hífen.

 

No comando da questão, pede-se que se marque a assertiva não apresenta erros: “Quanto ao novo acordo ortográfico, assinale a alternativa que não apresenta erros quanto ao uso do hífen.

 

  1. Os recém chegados não aderiram às novas audiências.

 

Esta letra fora dada como correta, porém a palavra recém-chegados precisa conter hífen de acordo com as regras vigentes no Novo Acordo Ortográfico, Base XV, parágrafo 5º:

 

5º)Emprega-se o hífen nos compostos com os elementos além, aquém, recém e semalém-Atlântico, além-mar, além-fronteirasaquém-mar, aquém-Pirenéusrecém-casado, recém-nascidosem-cerimônia, sem-número, sem-vergonha.

 

Portanto, assertiva errada.

 

  1. É preciso ter obediência também com o vice representante.

 

Realmente esta se errada, porque vice-representante se escreve com hífen:

 

e)Nas formações com os prefixos ex- (com o sentido de estado anterior ou cessamento), sota-, soto-, vice- e vizo-ex-almirante, ex-diretor, ex-hospedeira, ex-presidente, ex-primeiro-ministro, ex-reisota-piloto, soto-mestre, vice-presidente, vice-reitor, vizo-rei.

 

  1. Aquela menina de minissaia comprou um micro-ondas.

 

Esta assertiva é a correta de acordo com as regras vigente acerca do uso de hífen, como preceitua o Novo Acordo Ortográfico, Base XVI:

 

Minissaia:

2º)Não se emprega, pois, o hífen:

a)Nas formações em que o prefixo ou falso prefixo termina em vogal e o segundo elemento começa por r ou s, devendo estas consoantes duplicar-se, prática aliás já generalizada em palavras deste tipo pertencentes aos domínios científico e técnico. Assim: antirreligioso, antissemita, contrarregra, comtrassenha, cosseno, extrarregular, infrassom, minissaia, tal como biorritmo, biossatélite, eletrossiderurgia, microssistema, microrradiografia.

Micro-ondas:

b)Nas formações em que o prefixo ou pseudoprefixo termina na mesma vogal com que se inicia o segundo elemento: anti-ibérico, contra-almirante, infra-axilar, supra-auriculararqui-irmandade, auto-observação, eletro-ótica, micro-onda, semi-interno.

 

 

  1. Os projetos referem às mudanças na infra-estrutura.

 

A palavra infraestrutura se escreve sem hífen:

 

1º)Nas formações com prefixos  (como, por exemplo: ante-, anti-, circum-, co-, contra-, entre-, extra-, hiper-, infra-, intra-, pós-, pré-, pró-, sobre-, sub-, super-, supra-, ultra-, etc.) e em formações por recomposição, isto é, com elementos não autônomos ou falsos prefixos, de origem grega e latina (tais como: aero-, agro-, arqui-, auto-, bio-, eletro-, geo-, hidro-, inter-, macro-, maxi-, micro-, mini-, multi-, neo-, pan-, pluri-, proto-, pseudo-, retro-, semi-, tele-, etc.), só se emprega o hífen nos seguintes casos:

a)Nas formações em que o segundo elemento começa por hanti-higiénico/anti-higiênico, circum-hospitalar, co-herdeiro, contra-harmónico/contra-harmônico, extra-humano, pré-história, sub-hepático, super-homem, ultra-hiperbólicoarqui-hipérbole, eletro-higrómetro, geo-história, neo-helénico/neo-helênico, pan-helenismo, semi-hospitalar.

Obs.:  Não se usa, no entanto, o hífen em formações que contêm em geral os prefixos des- e in- e nas quais o segundo elemento perdeu o h inicial: desumanodesumidificarinábilinumano, etc.

b)Nas formações em que o prefixo ou pseudoprefixo termina na mesma vogal com que se inicia o segundo elemento: anti-ibérico, contra-almirante, infra-axilar, supra-auriculararqui-irmandade, auto-observação, eletro-ótica, micro-onda, semi-interno.

Portanto, nos demais casos, não se emprega o hífen, escrevendo-se a palavra sem o recurso do hífen: infraestrutura.

 

  1. Nenhum contra-regra participou do expediente.

 

A palavra contrarregra se escreve junto, em consonância com o Novo Acordo Ortográfico:

2º)Não se emprega, pois, o hífen:

a)Nas formações em que o prefixo ou falso prefixo termina em vogal e o segundo elemento começa por r ou s, devendo estas consoantes duplicar-se, prática aliás já generalizada em palavras deste tipo pertencentes aos domínios científico e técnico. Assim: antirreligioso, antissemita, contrarregra, comtrassenha, cosseno, extrarregular, infrassom, minissaia, tal como biorritmo, biossatélite, eletrossiderurgia, microssistema, microrradiografia.

Portanto, item errado.

 

Sendo assim, pela demonstração acima e pelos princípios norteadores do padrão culto da linguagem em língua portuguesa, em conformidade com o Novo Acordo Ortográfico, DECRETO Nº 6.583, DE 29 DE SETEMBRO DE 2008.  A questão tem como assertiva correta a de letra C e não a de letra A, à luza do acordo supracitado.  Pede-se a alteração de gabarito preliminar de letra A para letra C, como correta.

 

Termos em que pede deferimento.

 

 

Argumentação:

 

Solicita-se a anulação da questão 3 por conter duas respostas possíveis.

 

No  comando da questão, pede-se que se marque a assertiva ERRADA: “Quanto à concordância verbal, assinale a alternativa errada:” Contudo, a questão traz em si duas respostas possíveis, causando a impossibilidade de o candidato marcar com lisura sua reposta.

 

A saber, as questões que se configuram como erradas à luz da norma padrão em relação à concordância verbal são:

 

  1. No trecho “um dos porteiros, de cabelos brancos, óculos de aros grossos, queria falar comigo”, a concordância está correta, pois o verbo poderá ficar tanto no singular quanto no plural.

 

Esta assertiva está incorreta, porque o verbo não poderia ficar no plural, pois o núcleo do sujeito é o numeral ‘um’ do trecho em questão, deixando o verbo no singular apenas. A única possibilidade de se poder colocar no plural também o verbo é com o sujeito partitivo ou coletivo, o que não é o caso em análise.

 

  1. e) Em “Pelo menos uma ou duas vezes por semana cumpro esse itinerário e, pelo que me lembro nada de especial me acontece nessa hora” se mudarmos o sujeito dessa oração, isto é, o sujeito desinencial para o pronome ele, apenas o terceiro verbo negritado será modificado.

 

Esta assertiva está também errada, porque, além do terceiro verbo ser modificado como aponta a assertiva, o primeiro verbo também deve ser modificado ao se trocar o sujeito da 1ª pessoa (eu cumpro) para a 3ª pessoa (ele compra), negando a correção deste item da questão.

 

Sendo assim, pela demonstração acima e pelos princípios norteadores do padrão culto da linguagem em língua portuguesa, a questão contém duas respostas a serem dadas, impossibilitando o candidato de fazer a marcação no gabarito final.

 

Termos em que pede deferimento.

(19) Comentário

  • CARLOS EDUARDO EVANGELISTA 3 de setembro de 2018 @ 13:41

    Acredito que a questão 4 da prova B também esteja errada.
    No gabarito está que a alternativa é a A, mas na verdade é a letra C

    Muito obrigado pela atenção

    • Diego Amorim 7 de setembro de 2018 @ 15:34

      Foi feita também da questão 4.

      • Diego Amorim 6 de fevereiro de 2019 @ 10:08

        ISSO.

    • Diego Amorim 6 de fevereiro de 2019 @ 10:09

      CONTE COMIGO

  • WERLEY 4 de setembro de 2018 @ 14:23

    PARABÉNS PROFESSOR DIEGO, EXCELENTE ARGUMENTO!
    SUCESSO PRA VOCÊ!

    • Diego Amorim 6 de fevereiro de 2019 @ 10:09

      SHOWWWWWWW

  • Alexander Silva 5 de setembro de 2018 @ 06:45

    Show de bola.
    Parabéns pela eficiência!

    • Diego Amorim 6 de fevereiro de 2019 @ 10:08

      ESTAMOS JUNTOS…. SEMPRE NA EXCELÊNCIA.

  • Leomir 11 de setembro de 2018 @ 21:37

    Não anularam a questão 3 ! Deram como correta a letra E

    • Diego Amorim 12 de setembro de 2018 @ 11:38

      ASSISTA AO VÍDEO: ELES PREJUDICARAM MUITAS PESSOAS E A LISURA DO PROCESSO:

      https://www.youtube.com/watch?v=6SVxCAmAwzs

    • Diego Amorim 6 de fevereiro de 2019 @ 10:07

      ELES TÊM SOBERANIA PARA DECIDIR, INFELIZMENTE.

  • Leomir 12 de setembro de 2018 @ 09:10

    Pra variar a banca não anulou a questão 3! Muita gente prejudicada!

    • Diego Amorim 12 de setembro de 2018 @ 11:38

      ASSISTA AO VÍDEO: ELES PREJUDICARAM MUITAS PESSOAS E A LISURA DO PROCESSO:

      https://www.youtube.com/watch?v=6SVxCAmAwzs

    • Diego Amorim 6 de fevereiro de 2019 @ 10:07

      QUE BOM SABER DISSO…. PARABÉNS…. CONTE COMIGO SEMPRE.

    • Diego Amorim 6 de fevereiro de 2019 @ 10:07

      ELES TÊM SOBERANIA PARA DECIDIR, INFELIZMENTE.

  • Nathanael belinoski 12 de setembro de 2018 @ 11:23

    Eu venho aqui a agradecer grandemente pra em suma a questão 4 eu havia acertado colocando letra C, porém a banca errou mencionando ser a letra A a resposta diante desse erro eu havia perdido 1 pontinho importante posteriormente ao seu recurso eles reviram o erro e foram justos em corrigir o gabarito supra citado!
    Prof eu estudei e convicto marquei letra C, entretanto NAO SABERIA FAZER UM RECURSO TÃO CONTUNDENTE COMO O SR , LONGE DE MIM NÃO VIR AQUI AGRADECER A SUA BONDADE E CARINHO COM ALUNOS !
    Att: Nathanael Belinoski!

    • Diego Amorim 12 de setembro de 2018 @ 11:39

      ESTAMOS JUNTOS E CONTE COMIGO SEMPRE….

  • FERNANDO 12 de setembro de 2018 @ 23:35

    PROF. POSSO ENTRAR COM RECURO, DEVIDO O GABARITO TER SIDO ALTERADO?
    COM ISSO PERDI UM PONTINHO Q ME COLOCARIA NA LISTA DOS APROVADOS.

    E SOBRE A QUESTAO DO HIFEM, NO PRIMEIRO GABARITO ESTAVA DE ACORDO, POREM, NO SEGUNDO JA PERDI A QUESTAO.

    • Diego Amorim 13 de setembro de 2018 @ 13:19

      Quanto ao hífen, você realmente errou a questão.

      Não cabe mais recurso em âmbito administrativo, somente judicial agora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X