Sobre ser melhor!

Um relato, um testemunho meu sobre a vida. Testemunho de vida, de espiritismo, de amizades, de dieta, de conhecimento e autoconhecimento. Uma história de amor pela família, filhos e esposa.

Cheguei aos 42 anos prometendo mudanças aos trinta – não fiz, adiei –; depois prometi que comeria tudo o que eu gostaria de come, loucamente, até os 35 anos – não fiz, não parei, protelei novamente. Aos 40 anos, a diabetes chegou com tudo. Emagreci 35 quilos em dois meses! Eu não sabia da diabetes. Achei que era por conta de uma aposta com amigos espíritas em que começa mais uma de tantas dietas malucas que fiz só para ganhar a aposta e acabei ganhando a vida.

Não tenho dúvidas de que a aposta foram uma intervenção espiritual para salvar minha vida. Sem a dieta forçada pela aposta, eu teria, se não morrido, complicado minha saúde de forma irreversível. Ao começar a não comer doces e carboidratos de forma maluca, meu corpo pôde resistir mais uns meses. A espiritualidade age de forma sutil, mas age forte!

Fomos a São Paulo para fazer o enxoval da Cecília em julho de 2017. Já estava debilitado sem saber o porquê. Senti frio desmesuradamente, nunca havia sentido frio na vida – a gordura não deixava. Levantava à noite toda para beber água e depois para urinar. Estava me sentido fraco, mas contava a ninguém. Inclusive a Meg saberá disso agora. Não disse nada para que ela não se preocupasse demais, embora ela sempre me perguntasse sobre meu bem-estar toda hora. Estava num processo que os gregos definiram como “as carnes do corpo se desfazem na urina.”

Ao retornarmos a Brasília, num restaurante, com o prato cheio de batatas e arroz, recebi um telefonema do Carlos Novo, meu médico em Palmas, de quando estive lá e já sofrera um pico de pressão de 32/16. Ele, cardiologista de mão cheia, me atendeu – já éramos conhecido pois fora meu aluno! No telefonema, perguntou-me há quanto tempo estava magro daquele jeito, pois havia visto uma foto minha e achou magro demais em pouco tempo. Disse que havia começado uma dieta há cerca de dois meses e estava 35 quilos mais magro. Ele então não titubeou em me dizer: você está diabético. È grave, professor, você precisa para de comer carboidratos agora mesmo, nenhum tipo de doces. Eu vou passar os exames que você fará amanhã cedo mesmo. Não brinque com isso! É muito sério! Você está em sério risco de ter todas as sequelas da diabetes, a pior delas para você será a demência. Você não conseguirá mais dar aulas.

Nem precisa dizer que aquelas palavras caíram como uma bomba na minha vida! Diabetes! Eu? Fiquei mudo uns segundos e meu semblante mudou! Meu mundo rui mesmo. Pensei nos meus filhos, na filha que estava para chegar em novembro, pensei na minha família, nos meus alunos. Desliguei o telefone e disse à minha esposa e sogros o teor da conversa. Logo depois chegou a mensagem com a lista de exames e dois nomes de remédios que deveria tomar imediatamente: janumete e xigdu. Percebi a gravida mais uma vez do que estava acontecendo. A espiritualidade agindo mais uma vez.

Com medo, fiz os exames na esperança de que meu amigo estivesse errado sobre o diagnóstico. Não estava! Diabetes, as dançarinas do Diabo haviam me pegado. Putz, mais uma vez fui ao chão. Mas nunca fui de me abalar… segurei as pontas… fiquei firme e comecei a estudar sobre o assunto. Minha alimentação nunca mais seria a mesma. Os remédios começaram a me debilitar, a dieta me torturava – eu comia três pratos de comida no almoço com arroz, batata, carnes. E isso não seria mais uma possibilidade se quisesse viver. Me vi triste, preocupado, mas resiliente. Aceitara, fazer o quê, a condição de doente metabólico – nome bonito para “fodido”. Mudei tudo.

Mina filha nasceu, larguei os remédios, comecei a depender de uma pulseira mágica que diziam controlar pressão e insulina – incrível como acreditamos em coisas mirabolantes por conta da salvação! Engordei novamente, voltei aos 122 quilos, fadiga, preguiça, gota severa. Quando ela atacava, tomava uma cartela de cochinchina por dia, mais três injeções de voltarem na bunda para passar a dor terrível nas juntas das pernas. Estava perdido. Não havia ânimo para brincar com uma recém-nascida por mais de 5 minutos. Deprimente.

Então, comecei um processo de bloquear minha mente para pensamentos de que remédios não me salvariam, de que crenças não me adiantariam, de que palavras e pensamentos positivos apenas não me salvariam. Comecei a estudar e a ler sobre como poderia reverter tamanha decadência.

Em dezembro de 2018, decidi, no começo do mês, me desfiar! Isso mesmo: me desafiar a ser melhor! Eu era melhor do que isso que me tornara! Ninguém notava, eu sempre fazia da minha condição de doente e obeso uma piada da vida! Por dentro eu sabia! Por dentro eu resolvera mudar radicalmente!

Decidi que dia 26 de dezembro entraria numa dieta para sempre e que isso me salvaria e que seria o grande desafio da minha vida! Minha mulher e eu pesquisamos dietas, achamos a low carb a mais adequada para mim. Adotei, estudei os protocolos, refiz as compras aqui de casa, fiz tudo o que era possível. Meus exames de novembro eram os piores possíveis: ácido úrico alto, colesterol alto, triglicérides altíssimo. Em janeiro de 2019, um mês depois, havia perdido 9 quilos somente com a dieta! Cortei tudo de uma vez, foi foda! Foi difícil, mas minha mente já estava bloqueada. Não voltaria atrás. Jamais desistiria! Não deixaria nada nem ninguém me parar! Já tinha mais ânimo, já corria com minha filha pelo shopping, ela começara a andar e até isso me serviu de impulso!

A gota ainda me incomodava e não entedia por que isso acontecia. Minha irmã então me disse que havia lido em algum lugar que a gota não vinha da carne e sim do açúcar! Outra salvadora da minha vida! Outra agente encarnada da espiritualidade!

Em fevereiro, com 12 quilos a menos, feliz, comendo quantidades absurdas de comida de verdade, porém emagrecendo com saúde e disposição. No final do mês, uma aluna-seguidora do instagram – @_Kakli me desafiou a conhecer uma nova dieta denominada Dieta Carnívora. O nome já me agradara porque era e sou fã de carnes desde o o mundo espiritual! Havia um #desafiodoscarnivoros acontecendo e resolvi testar essa nova dieta, pois não havia alimentos nocivos à minha dieta de então.

Dia 1º de março, iniciou-se o desafio e eu com ele. Conheci uma comunidade de carnívoros, conheci textos, estudos, pessoas que seguiam há tempos essa dieta. Li, me informei loucamente sobre o assunto, pesquisei e encontrei estudos, artigos científicos e pessoas, principalmente pessoas, que se sentiam diferentes depois da dieta. Conheci uma nova vida, um novo conceito, uma dieta que quebra paradigmas e que me tirava do status que estava há anos! Afinal, viver de carnes, ovos, água e café não parecia ‘normal’.

Em quinze dias de dieta, acabado o desafio me perguntei se poderia viver bem e saudável só com carnes e ovos. Mais uma vez pesquisei, corri atrás de informação, de evidências. Entrei em um grupo de wathsapp de pessoas dispostas a ajudar as pessoas a informar sobre a dieta, sobre o modo de vida carnívoro. No início, pensei em ser mais uma ‘seita’em que se falaria mal dos outros seres e lavariam meu cérebro para que ficasse na dieta.

“Me fodi”!! eles não falam mal de ninguém, não impõem nada. Apenas esclarecem. Encontrei ali médicos, nutricionistas, personais, pessoas comuns que apenas passam seus conhecimentos e experiências de forma tranquila e jocosa. Encontrei ali pessoas felizes em ajudar, nada vendiam, nada cobram, nada pedem em troca a não ser interação também. Parece clichê, e é, mas encontrei ali mais que amigos, encontrei uma família. A empatia foi tamanha que me vejo interagindo com eles e não me vejo fora da vida deles em nada! Hoje mesmo eu informo os novos adeptos e curiosos da dieta.

Hoje, dois meses depois de iniciar a dieta que é meu modo de viver para sempre, sou uma pessoa totalmente diferente! Mais ativo, mais animado, mais feliz, mais pai, mais esposo, mais família, mais professor do que nunca! Sinto-me valorizado por mim mesmo e por todos. Estou vencendo sempre, pois obesidade é doença grave e não tem cura. Porém, não preciso viver com ele agora! Sobre os números, vamos lá:

Gota – não tenho mais. Joguei fora os remédios. Não sinto mais nada. Não tenho inchaços, nem dores nas pernas.

Pressão – nunca mais se alterou.

Diabetes – não tenho mais. Isso mesmo: não tenho mais! Nos exames de há um mês, meus índices são de pessoa saudável em tudo.

Ânimo – tenho até demais. Meu sono melhorou. Minha disposição é 110%.

Capacidade de raciocínio – até isso se intensificou bastante.

Peso – 101 quilos e baixando. Nem inseri ainda exercícios. Quando o fizer, haverá outro texto desses! Aguardem(-me)!

Agradeço a todos a ajuda que recebo hoje. Minha irmã, meus filhos, minha amada Meg pela força que me dão. Agradeço aos carnívoros da minha nova família – nem citarei todos para não correr o risco de esquecer alguém importante para mim. Sem vocês, estaria morto.

Instagram da galera carnívora e amigos: @jade.soller @jejumintermitente @dr.fabiorieger @dra.patriciaguimaraes @anamariaasuarez @vandacoletti @andersonjilc @dietacarnivorabrasil @lowcagy @leda_marano @carnivore_stoic.br @carnivore.experience @chefmichaelmiranda_lowcarb @nutridados @djsurfista

Prof. Diego Amorim (Carnívoro)

Literalmente: Leões andam com Leões!

(18) Comentário

  • Anderson Rangel Jorge 2 de junho de 2019 @ 14:43

    Mano, que relato sensacional! Que bom que a Espiritualidade sempre nos socorre e nos ajuda a encontrarmos nosso caminho. Parabéns! Vc é um guerreiro. Que os Espíritos de Luz continuem te ajudando pois agora vc nos ajuda com exemplos e ensinamentos. TMJ, Leão!!!!

    • Diego Amorim 2 de junho de 2019 @ 20:32

      Anderson, você é uma pessoa especial… faz parte dessa história em sua melhor parte! Obrigado Pelos ensinamentos, brincadeiras e descontrações no grupo e na vida! Estamos juntos!

  • Lis Alves 2 de junho de 2019 @ 14:51

    A ajuda que a gente recebe é tão rica, tão valiosa que até os menos crentes se rendem a pelo menos tentar, seja Low Carb ou Carnivora. Se todo mundo soubesse o poder da alimentação nao existiriam tantos remedios. Obrigada por partilhar seu conhecimento. Parabéns Professor, seguiremos firmes e em frente. 😌

    • Diego Amorim 2 de junho de 2019 @ 20:31

      Lis, eu que agradeço poder fazer parte dessa família que é a Carnívora! Obrigado pelo feedback!

  • Max Delleon de Faria Santos. 2 de junho de 2019 @ 15:06

    Fiquei impressionado por tantas coisas que você passou: se sentiu abalado, como teve que superar, ajudas de várias pessoas e da intercessão da força divina, se organizar e seguir a diante com êxito ainda sendo engraçado. O meu pedido de hoje é que Deus venha proteger você e sua família sempre, evitando que passe por momentos como esse.
    Você é DEZ…
    Ajude sempre as pessoas que realmente precisa de sanar suas necessidade.
    Abraços MESTRE DIEGO AMORIM!

    • Diego Amorim 2 de junho de 2019 @ 20:29

      Max, você é um bom amigo! Obrigado pela sua prece e atenção em escrever para mim!

  • Cristiane Pereira Rodrigues 2 de junho de 2019 @ 15:08

    Boa tarde professor, daqui uns dias entrarei nessa dieta, vc é minha inspiração, sempre te admirei e vou sempre admirar, vc é foda !

    • Diego Amorim 2 de junho de 2019 @ 20:28

      Cris, conte comigo para ajudar você a entender a dieta e tirar todas as suas dúvidas!!! DE verdade, fale comigo!

  • Aline 2 de junho de 2019 @ 15:12

    Muito bom professor!!!!
    Parabéns pela mudança, determinação…
    Estilo de vida com saúde é tudo de melhor que podemos ter nesta vida.
    És um Incentivo para muitos que o segue e para nós que nos encontramos nesse caminho e caminhamos juntos. Tmj 😘

    • Diego Amorim 2 de junho de 2019 @ 20:27

      Oh, Aline! Obrigado pelo seu comentário! Importante saber podemos incentivar e ser incentivados nessas horas!

  • Kedma 2 de junho de 2019 @ 15:16

    Me senti no sofá da sua casa, conversando sobre você… Massa! 👏

    • Diego Amorim 2 de junho de 2019 @ 20:26

      Essa é a intenção do meu texto…. conversar diretamente com você! Obrigado pelo feedback!

  • PATRICIA DA SILVA CORREA 2 de junho de 2019 @ 15:50

    Puxa que relato. Foi maravilhoso ler isso. Já estava querendo ir na padaria e jogar a carnívora para o alto de novo. Me pesei hj. 100.7kg. já vi 133kg na balança, também já vi 88. Obrigada pelo seu relato. O melhor da paleo, Keto, carnívora são as pessoas. 😘😘😘😘

    • Diego Amorim 2 de junho de 2019 @ 20:25

      Pati, toda vez que você sentir essa necessidade maluca de padaria…. fale comigo… converse conosco!!! Será um prazer ajudar!

  • Rosana 2 de junho de 2019 @ 17:54

    Sou sua admiradora e fã de quem você é, do seu esforço pra melhorar cada vez mais e do guerreiro (porque isso com certeza foi uma guerra que você enfrentou) que tu és. .Estou aqui na luta pra não ter a danada diabetes também rsrs bjo grande no seu ❤️

    • Diego Amorim 2 de junho de 2019 @ 20:21

      Poxa, Rosana, não sabia dessa sua luta… espero que vença… sabe que estou à sua disposição se quiser e precisar de ajuda! basta levantar a mão! Beijo

  • Nara Reico 2 de junho de 2019 @ 20:40

    Parabéns Prof. Diego! O seu testemunho serve de inspiração para muitos. Continue firme!
    Obrigada por compartilhar sua experiência conosco!

    • Diego Amorim 2 de junho de 2019 @ 20:57

      Nara, eu que agradeço você vir aqui e me deixar suas palavras! Continuarei firme demais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X